O que nós podemos fazer para mudar o mundo?

Em 2000, as Nações Unidas, ao analisarem os maiores problemas mundiais, elegeram um conjunto de objetivos e metas que deveriam ser atingidas até 2015, que ficaram conhecidos com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Foram apresentados os 8 jeitos de mudar o mundo, a saber: 1. Erradicar extrema pobreza e a fome; 2. Atingir o ensino básico universal; 3.Promover a igualdade de gêneros e a autonomia das mulheres; 4. Reduzir a mortalidade infantil; 5. Melhorar a saúde materna; 6.Combater o HIV/AIDS, a Malária e outras doenças; 7.Garantir a sustentabilidade ambiental; 8.Estabelecer uma parceria global para o desenvolvimento. Infelizmente, mesmo com os investimentos realizados pelas Nações integrantes, os objetivos não foram alcançadas no prazo previsto. Além disso, com a Pandemia do Covid 19 as dificuldades aumentaram. Atualmente, os cenários apresentam problemas que ainda estão prejudicando bilhões de pessoas. Existem problemas que ampliaram os riscos para os 8 bilhões de habitantes da Terra. É lamentável identificar que a erradicação da extrema pobreza e a fome ainda estão pautadas nas Políticas Públicas de muitos países, assim como a garantia da sustentabilidade ambiental. As notícias na imprensa assustam e alertam sobre os aumentos dos desafios e as indispensáveis ações públicas e privadas para serem agilizadas. Os avanços tecnológicos, as políticas públicas e o empreendedorismo são fundamentais na busca da melhoria contínua, incluindo fazer o bem sem a olhar a quem. O Brasil sempre esteve comprometido com a concretização dos Objetivos do milênio e, em parceria com as Nações Unidas, vem desenvolvendo estratégias para alcançá-los. É óbvio que, com as grandes mudanças, a sociedade civil tem ampliado sua atuação para melhorar os indicadores. Cada um dos 8 jeitos de mudar o mundo apresentado precisa do comprometimento na busca de melhores dias para os habitantes do planeta azul. As Nações Unidas convidam e os resultados deverão ser alcançados com as participações e para o bem de todos. Será que existem pessoas que não concordam com as propostas? Alguns dos políticos eleitos ou reeleitos poderão ignorar quaisquer das propostas? Algum empreendedor ou empresário poderia ignorar os 8 jeitos de mudar mundo? Espero que os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio sejam incluídos em todos os Programas dos Partidos Políticos nacionais e nas Políticas Públicas dos próximos Governos para que os indicadores sociais e econômicos sejam melhorados. Será? Respeitam-se todas as opiniões contrárias. São reflexões. Podem ser úteis. Pensem nisso.

Abdon Barretto Filho

Abdon Barretto Filho

Economista e Mestre em Comunicação Social. Especializado em Economia, Comunicação e Marketing aplicados às Cidades ( City Marketing),Empresas e Entidades, destacando-se Eventos, Hotelaria, Hospitalidade e o Turismo. Consultor, Conferencista, Conselheiro, Diretor, Escritor, Colaborador em Veículos de Comunicação

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abdon Barretto Filho
Economista e Mestre em Comunicação Social.

Acompanhe as novidades