População mundial supera 8 bilhões de habitantes

De acordo com as projeções da Organização das Nações Unidas (ONU), o nosso planeta azul ultrapassou a marca de 8 bilhões de habitantes, sinalizando grandes melhorias na saúde pública que reduziram os riscos de morrerem e aumentaram as expectativas de vidas nos países. Entretanto, o registro também serve para que a humanidade observe que além dos números deve cumprir sua responsabilidade compartilhada de proteger as pessoas e o planeta, principalmente os mais vulneráveis. Segundo a ONU, o crescimento da população e da expectativa de vida deve-se a uma série de avanços civilizatórios principalmente dos avanços na saúde pública, nutrição, higiene pessoal e a medicina. Infelizmente, ainda existem grandes desigualdades entre os países, principalmente nos mais pobres, gerando tensões e desconfianças, crises e conflitos. Convém salientar que o mundo está mais diverso demograficamente, com os países enfrentando tendências populacionais diferentes, que vão do crescimento ao declínio. No século 19, a Terra estava com um bilhão de habitantes, mas, no século 21, levou 12 anos para crescer de 7 a 8 bilhões de habitantes. O rápido crescimento populacional torna mais difícil erradicar a pobreza, combater a fome e a desnutrição e aumentar a cobertura dos sistemas de saúde e educação. Atualmente, dois terços da população mundial vive com baixa fecundidade, com 2,1 partos por mulher. Ao mesmo tempo, o crescimento populacional tem se concentrado cada vez mais nos países mais pobres do mundo, principalmente na África Subsaariana. Na realidade, existem ligações complexas entre a população mundial, mudanças climáticas e o desenvolvimento sustentável. Nós, habitantes da Terra estamos viajando ao redor do Sol, na expectativa de uma vida melhor para todos, cumprindo os direitos humanos e para não deixar ninguém para trás, buscando um mundo melhor para que todos os 8 bilhões possam prosperar e serem felizes. Devemos buscar soluções comprovadas e eficazes para diminuir ou eliminar as desigualdades, priorizando os direitos humanos, tornando o mundo mais seguro, mais sustentável e mais inclusivo. O Turismo Sustentável e a Hospitalidade podem contribuir na Economia e no Desenvolvimento de muitos países, distribuindo renda e ampliando oportunidades. Será? Respeitam-se todas as opiniões contrárias. São reflexões. Podem ser úteis. Pensem nisso.

Abdon Barretto Filho

Abdon Barretto Filho

Economista e Mestre em Comunicação Social. Especializado em Economia, Comunicação e Marketing aplicados às Cidades ( City Marketing),Empresas e Entidades, destacando-se Eventos, Hotelaria, Hospitalidade e o Turismo. Consultor, Conferencista, Conselheiro, Diretor, Escritor, Colaborador em Veículos de Comunicação

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Abdon Barretto Filho
Economista e Mestre em Comunicação Social.

Acompanhe as novidades