Festas  atraem visitantes

                   Abdon Barretto Filho  Economista, Mestre em Comunicação Social

Os mais diversos tipos de eventos festivos, sejam eles folclóricos, religiosos ou pagãs, podem atrair visitantes valorizando os destinos turísticos. No caso do Brasil, com suas dimensões continentais, existem festas que atraem visitantes o ano todo. No Rio Grande do Sul, existem manifestações em todos os Municípios atraindo visitantes interessados nos aspectos culturais, históricos, religiosos, entre outros. Na estruturação da Oferta Turística, após Diagnóstico do Município, observa-se as reais possibilidades da qualificação e promoção das festas populares e eventos diversos capazes de atraírem visitantes. Em primeira instância, os antecedentes históricos dos eventos, os fluxos dos visitantes, os organizadores locais e os resultados para as comunidades. Alguns eventos existem sem recursos públicos e outros eventos,   precisam de recursos públicos e apoios institucionais ou apoios comerciais. Observa-se que os existem muitas variáveis sobre os possíveis apoios. No caso dos investimentos na  comunicação integrada, as campanhas promocionais são necessárias para o fortalecimento da imagem do destino e motivações para visitas. Naturalmente, com os fluxos de visitantes, a Economia do Turismo, registra a gerações  de empregos, rendas, recolhimentos de impostos e  autoestima da população. Logo, os registros dos eventos capazes de atraírem visitantes devem ser destacados e com Gestões profissionais específicas. Existem eventos que atraem milhares de visitantes e merecem atenções especiais devido às contribuições no consumo de bens e/ou serviços. Outros eventos atendem às comunidades e são restritos aos interesses dos habitantes, não conseguem atrair visitantes. Na formatação do Calendário de Eventos do Município Turístico é necessário identificar e definir a série de eventos que merecem tratamentos específicos e que possam ser sustentáveis e transversais. Não é aconselhável incluir nas estatísticas, as festas nos bairros para 200 (duzentas) pessoas com eventos festivos para 1000 pessoas. Infelizmente, muitos neófitos não conseguem vislumbrar as diferenças gerando frustrações e perdas de oportunidades. Algumas cidades criam estruturas para profissionalizarem os Gestores, desenvolvem estratégias, táticas e operações buscando objetivos transparentes e duradouros, seguindo Políticas Públicas e a indispensável parceria com a iniciativa privada. É tema para profissionais. Os mais diferentes tipos de Festas e Eventos formam Calendários importantes para o Marketing da Cidade (City Marketing). Será? Respeitam-se todas as opiniões contrárias. São reflexões. Podem ser úteis. Pensem nisso.

Abdon Barretto Filho

Abdon Barretto Filho

Economista e Mestre em Comunicação Social. Especializado em Economia, Comunicação e Marketing aplicados às Cidades ( City Marketing),Empresas e Entidades, destacando-se Eventos, Hotelaria, Hospitalidade e o Turismo. Consultor, Conferencista, Conselheiro, Diretor, Escritor, Colaborador em Veículos de Comunicação

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abdon Barretto Filho
Economista e Mestre em Comunicação Social.

Acompanhe as novidades