Análise SWOT não é Análise SWAT

Análise SWOT (strengts (Forças) Weaknsess (Fraquezas) Oportunities-(Oportunidades) Treats (Ameaças) ou FOFA (Forças – Fraquezas-Oportunidades – Ameaças) é uma técnica de planejamento estratégico bastante utilizada desde da década de 1980, quando grandes lideranças acadêmicas e profissionais apresentaram modelos de negócios que foram copiados em todo o mundo. Atualmente, com os avanços tecnológicos e as grandes mudanças no mundo, as Forças que estão incluídas nas análises estão sendo questionadas devido às velocidades das mudanças nos ambientes sociais e econômicos. No passado, análise SWOT definia estratégias duradouras, considerando-se as vantagens competitivas adquiridas tendo como base as Forças/Fortalezas das organizações com ou sem fins lucrativos. Atualmente, o sucesso do passado não garante a sustentabilidade de hoje e nem o financiamento do futuro. As variáveis incontroláveis atacam todas as organizações, exigindo posicionamentos e reposicionamentos com Gestões adequadas e velozes para acompanharem o ritmo da inovação e da sustentabilidade, eliminando as ameaças constantes. Logo, o estratégico, o tático e o operacional devem estar unidos para encontrarem novas alternativas para a manutenção e o desenvolvimento dos negócios, quase em tempo real, considerando-se a tecnologia aplicada. Para ilustrar, é interessante lembrar-se das ações da SWAT (sigla para Special Weapons and Tactis, traduzido para o português: Armas e Táticas Especiais) que é uma unidade de polícia altamente especializada nos departamentos de grandes cidades com maiores populações nos E.U.A. Nos filmes apresentados, observa-se o treinamento e a disciplina destacados nos grupos de policiais altamente focados para qualquer situação, seja ela de risco ou não, para reduzir as ameaças às comunidades locais. Isto pode incluir ataques coordenados e alvos específicos sendo referência para a manutenção da paz urbana. Portanto, salvo melhor juízo, com os grandes desafios que se apresentam as utilizações de estratégias adequadas, após diagnósticos profissionais das Ameaças e Oportunidades e das Fortalezas e Fraquezas, a determinação do Posicionamento adequado será na Gestão Tática e Operacional no Foco da série das variáveis controláveis para sobreviver, a saber: Produto ( Bens/ou Serviços); Precificação (com vários tipos de preços); Promoção adequada ( Comunicação Integrada) e Pontos de Distribuição/Comercialização. São contribuições reflexivas que podem ser úteis, inclusive na Política, Economia, Mercados e nos fenômenos sociais e econômicos como o Turismo e a Hospitalidade. Será? Respeitam-se todas as opiniões contrárias. Pensem nisso.

Abdon Barretto Filho

Abdon Barretto Filho

Economista e Mestre em Comunicação Social. Especializado em Economia, Comunicação e Marketing aplicados às Cidades ( City Marketing),Empresas e Entidades, destacando-se Eventos, Hotelaria, Hospitalidade e o Turismo. Consultor, Conferencista, Conselheiro, Diretor, Escritor, Colaborador em Veículos de Comunicação

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abdon Barretto Filho
Economista e Mestre em Comunicação Social.

Acompanhe as novidades