A Economia Circular e o Turismo Urbano

As necessidades humanas são ilimitadas e os fatores de produção – recursos naturais, capital (técnico e/ou financeiro) e trabalho – são limitados. O desafio da existência humana é equilibrar a Demanda composta pelas necessidades humanas ilimitadas e a escassez da Oferta de bens e/ou serviços para todos. É uma grande justificativa para a existência da Economia como Ciência da escassez. A literatura sobre o tema é ampla e existem pesquisas e cursos nas mais destacadas universidades no mundo. A Economia Circular é um modelo que visa a ser uma solução prática para o problema do esgotamento de recursos naturais do planeta. As ações humanas para extrair matéria-prima, fabricar, consumir e jogar fora, integram o modelo existente desde da revolução industrial. É o famoso ciclo de um produto na economia tradicional e linear. Com os avanços tecnológicos e a aumento da população mundial, os recursos finitos estão mais perceptíveis obrigando   novos estudos, visando a busca de alternativas para tornar a economia mais sustentável. A economia circular é projetada para manter um longo ciclo, utilizando a matéria prima e transformando-a infinitamente, seja através da reciclagem ou reaproveitamento. A geração de resíduos nesse modelo econômico é mínima. O circuito é fechado e minimiza o consumo de matéria primas e de energia cujo o propósito é o uso da matéria-prima até seu esgotamento. Utiliza-se os famosos 5 Rs: Repensar, Recusar, Reduzir, Reutilizar, Reciclar. No caso do lixo é a mudança do conceito e substitui-lo por uma visão crítica e contínua da produção.  Na realidade, a economia circular é uma solução para minimizar o impacto humano no meio ambiente. Pode-se destacar algumas vantagens como: a eliminação do desperdício, reciclando as matérias-primas até o esgotamento; menos poluição, tanto na produção quanto no descarte, gerando  melhoria na qualidade de vida da população; reduções de custos, pois extrai menos matéria prima para produção; gera inovação e melhoria nos processos produtivos; utiliza recursos naturais; traz bem estar e engajamento com colaboradores e destaques com os clientes, fornecedores, proprietários e a comunidade demonstrando interesse em proteger o meio ambiente e contribuindo para dias melhores. Convém salientar que a comunidade percebe quando uma empresa está engajada em projetos de responsabilidade ambiental. Para a economia linear o processo tem fim quando o produto é descartado, Já o conceito de economia circular apresenta que todo material ainda pode ser utilizado. Logo, o processo é cíclico, ou seja, não tem fim, proporcionando formas equilibradas de consumo e novos formatos de produção. No Turismo Urbano, os tratamentos dos resíduos fazem parte da estruturação da oferta de equipamentos e serviços prestados aos visitantes que continuam  para as comunidades, quando eles retornam às suas residências fixas. Além disso, cidades limpas com tratamentos adequados dos descartes e reciclagens formam boas imagens e atraem fluxos de visitantes melhorando a autoestima da população. Será? Respeitam-se todas as opiniões contrárias. São reflexões. Podem ser úteis. Pensem nisso.

Abdon Barretto Filho

Abdon Barretto Filho

Economista e Mestre em Comunicação Social. Especializado em Economia, Comunicação e Marketing aplicados às Cidades ( City Marketing),Empresas e Entidades, destacando-se Eventos, Hotelaria, Hospitalidade e o Turismo. Consultor, Conferencista, Conselheiro, Diretor, Escritor, Colaborador em Veículos de Comunicação

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abdon Barretto Filho
Economista e Mestre em Comunicação Social.

Acompanhe as novidades