O impacto do 5g no fenômeno turístico

A Tecnologia é uma das variáveis incontroláveis que pode gerar uma série de ameaças e oportunidades. Entendê-la e fazer adequações são fundamentais para desenvolver atividades pessoais e profissionais. O novo sempre vem. Convém salientar, que o ciclo de vida de qualquer bem e/ou serviço pode ser interrompido, adaptado, ampliado ou chegar ao fim. Além disso, pode-se criar um novo produto (bem e/ou serviço) com novo ciclo de vida. É a realidade do mercado cada vez mais exigente e ávido de novidades, eliminando as funções das pessoas físicas e/ou jurídicas que não entendem ou não que querem entender os avanços tecnológicos e os novos conhecimentos disponibilizados. É a vida como ela é. Com a chegada do 5G, quinta geração da internet móvel, capaz de mudar as comunicações como um todo, pela intensidade das conexões e pela capacidade de difusão, o fenômeno turístico deve estar atento às novas possibilidades. Existem infinitas aplicações no Marketing das Cidades (City Marketing), nas empresas, entidades e eventos dos setores de hospitalidade, hotelaria, rotas, roteiros e relacionamentos, antes, durante e pós vendas. É óbvio que é indispensável o conhecimento para utilizar a tecnologia aplicada para não perder tempo e dinheiro, sem esquecer que postagens e fotos nas redes sociais entre outras ações inadequadas, podem destruir imagens, posicionamentos e reputações de pessoas físicas e jurídicas. São desafiantes para os profissionais e consumidores de transportes, hotéis, passeios, restaurantes, museus, entre outros serviços diretos ou indiretos do sistema produtivo do turismo e da hospitalidade. É o momento de adaptar-se ao 5G e aplicá-lo da melhor maneira possível nas cidades com sinais disponíveis. Infelizmente, algumas cidades ainda não possuem bons sinais de internet. Mesmo assim, a disponibilidade da internet para a comunidade e os visitantes deve ser avaliada, já que não existem recursos disponíveis para todos investimentos na estruturação da oferta turística. Por exemplo: é melhor ter um Pórtico na entrada da cidade ou um bom sinal de internet? Estruturar a oferta, qualificar, promover e distribuir são desafios para os planejadores e gestores atentos às inovações tecnológicas. Como melhorar o posicionamento da cidade, da empresa ou da entidade, se não há compreensão que estamos em contínuas mudanças impostas pelas variáveis incontroláveis, como a tecnologia? É aconselhável adaptar-se e incorporar as mudanças, respeitando as conquistas, a ética, os valores, os bons costumes e os relacionamentos com os clientes, colaboradores, proprietários, fornecedores e comunidades. São bases indispensáveis nas formatações de estratégias, táticas e operações   para manter-se no mercado. O propósito e os objetivos são alcançados com profissionais e profissionalismo, sem neófitos curiosos bem intencionados com miopias: mercadológica e tecnológica. Será ? Respeitam-se todas as opiniões. São reflexões. Podem ser úteis. Pensem nisso.

Abdon Barretto Filho

Abdon Barretto Filho

Economista e Mestre em Comunicação Social. Especializado em Economia, Comunicação e Marketing aplicados às Cidades ( City Marketing),Empresas e Entidades, destacando-se Eventos, Hotelaria, Hospitalidade e o Turismo. Consultor, Conferencista, Conselheiro, Diretor, Escritor, Colaborador em Veículos de Comunicação

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abdon Barretto Filho
Economista e Mestre em Comunicação Social.

Acompanhe as novidades