Evento, Entretenimento, Lazer e Turismo

Abdon Barretto Filho – Economista, Mestre em Comunicação Social

Na estruturação da oferta turística , observa-se os aspectos geográficos, históricos, culturais, equipamentos e serviços capazes de atraírem visitantes com motivações diversas. Preferencialmente, são trabalhos realizados por profissionais  especializados e comprometidos com  o desenvolvimento do fenômeno turístico no núcleo receptor, através de parcerias públicas e privadas. Em sequência, salvo melhor juízo, os planejadores e gestores podem utilizar estratégias vencedoras identificadas em destinos turísticos destacados nos recebimentos de  fluxos de visitantes. Algumas delas podem ser identificadas através das combinações de um calendário de eventos; disponibilidade de entretenimento e programação de lazer que atendem aos moradores e aos visitantes. Sempre é bom recordar que a cidade será boa para o visitante se for boa para o habitante. No caso do evento, pode-se identificar uma série de classificações: acadêmicos,  profissionais, empresariais, desportivos, científicos, comerciais, culturais, gastronômicos, políticos, turísticos, entre outros.. Todos os tipos de eventos podem atrair visitantes e contribuem com o desenvolvimento local.Convém salientar que algumas palestras e/ou  declarações podem contribuir no desenvolvimento do pensamento cultural, econômico e cultural da comunidade. Muitos destinos turísticos iniciam suas ações nos mercados emissores promovendo seus eventos, sejam eles festejos religiosos e/ou comemorações das colheitas e feiras agropecuárias. Na realidade, ao planejar um evento deve-se imaginar a programação de entretenimento e lazer para atender os participantes e seus  familiares, além dos habitantes. Parece ser óbvio. Mas, infelizmente, não é. O calendário de eventos é uma importante ferramenta para atrações de fluxos de visitantes. Entretanto, alguns eventos são criados e eliminados por gestões temerárias. Alguns não conseguem  realizar duas edições . Outros são mantidos porque são aceitos pelas forças dos mercados e dos relacionamentos dos seus organizadores. Os eventos com bons resultados são identificados e são continuados demonstrando aceitabilidade e competência das suas respectivas gestões. Para os destinos turísticos e regiões turísticas, os eventos podem contribuir nas formações de imagens turísticas e nas atrações de visitantes com retornos dos investimentos e nas satisfações das comunidades. Podem ter inícios com poucos investimentos e, de acordo com seus temas e gestões, podem ser ampliados. As atratividades e as experiências dos visitantes contribuem para ampliações e os surgimentos de patrocinadores. Logo, salvo melhor juízo, as combinações possíveis entre o calendário de eventos e atratividades locais criam diferenciais capazes de atraírem fluxos de visitantes. Naturalmente, a Economia do Turismo é beneficiada através das gerações de rendas, empregos, impostos e autoestima da comunidade. Será ? Respeitam-se todas as opiniões contrárias. São reflexões, Podem ser úteis. Pensem nisso.

Abdon Barretto Filho

Abdon Barretto Filho

Economista e Mestre em Comunicação Social. Especializado em Economia, Comunicação e Marketing aplicados às Cidades ( City Marketing),Empresas e Entidades, destacando-se Eventos, Hotelaria, Hospitalidade e o Turismo. Consultor, Conferencista, Conselheiro, Diretor, Escritor, Colaborador em Veículos de Comunicação

Gostou desse conteúdo? Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abdon Barretto Filho
Economista e Mestre em Comunicação Social.

Acompanhe as novidades